ARSENAL DO PREGADOR: O conselho do sacerdote Jetro ao seu genro Moisés. Êx 18:13-24.
¨Pregai o evangelho a todas as criaturas, em hora e fora de hora!¨

Amado(as),
Esses são os comandos do nosso GENERAL. Por isso junto-me a voçê nesta missão!
Sou Taichiro Yamamoto, evangelista, salvo no Japão e confirmado na chamada de PREGADOR do Evangelho de Jesus Cristo nos EUA. Atualmente locado em Pernambuco-Brasil.
Que neste humilde blog voçê encontre ¨munição¨ para combater e ajudar outros a combaterem o mal!
E nesta batalha, sê VALENTE!

Saturday, September 24, 2011

O conselho do sacerdote Jetro ao seu genro Moisés. Êx 18:13-24.

13. No dia seguinte assentou-se Moisés para julgar o povo; e o povo estava

      em pé junto de Moisés desde a manhã até a tarde.

14. Vendo, pois, o sogro de Moisés tudo o que ele fazia ao povo; perguntou:

      Que é isto que tu fazes ao povo? Por que te assentas só, permanencendo

      todo o povo junto de ti desde a manhã até a tarde?

15. Respondeu Moisés a seu sogro: É porque o povo vem a mim para consul

      tar a Deus.

16. Quando eles têm alguma questão, vêm a mim; e eu julgo entre um e o

      outro e lhes declaro os estatutos de Deus e as suas leis.

17. O sogro de Moisés, porém, lhe replicou: Não é bom o que fazes.

18. Certamente desfalecerás, assim como tu, como este povo que está

      contigo; sê tu pelo povo diante de Deus, e levas tu as causas a Deus;

19. Ouve agora a minha voz; eu te aconselharei, e seja Deus contigo: porque

      isto te é pesado demais; tu só não o podes fazer.

20. Esinar-lhes-ás os estatutos e as leis, e lhes mostrarás o caminho em que

      devem andar, e a obra que devem fazer.

21. Além disto, procurarás dentro o povo homens de capacidade, tementes a

      Deus, homens verazes, que aborreçam a avareza, e o porás sobre eles por

      chefes de mil, chefes de cem, chefes de cinquenta, e chefes de dez;

22. E julguem eles o povo em todo o tempo. Que a ti tragam toda a causa

      grave, mas toda a causa pequena eles mesmo a julguem; assim mesmo te

      aliviarás da carga, e eles a levarão contigo.

23. Se isto fizeres, e Deus to mandar, poderás então subsistir; assim também

      todo este povo irá em paz para o seu lugar.

24. E Moisés deu ouvido à voz do seu sogro, e fez tudo quanto este lhe dissera;
     (Êx 18:13-24, ARC)


 Entre várias coisas que nos fazem iguais a povos de todos os lugares da Terra e das mais variadas culturas, línguas, crenças, economias, etc. E ainda nos iguala a povos antigos e as gerações futuras... É a dependência humana do nosso próximo!  

De uma pequena pergunta como: “- Que horas são?” Até importantes questões que abragem destinos, vidas de nações e de todo o mundo. Há necessidade de falarmos e mais ainda, ouvirmos uns aos outros.

O aconselhamento é uma característica, função e necessidade do ser humano. Podemos afirmar que o aconselhamento contém três elementos básicos:

                1- O (a) aconselhado;

                2- O (a) conselheiro (a);             

                3- O problema, circunstância, o motivo, o contexto que os

                     envolve, etc.  

Todo aconselhamento eficaz depende de uma boa inter-relação destes três. Ou seja, é necessário que os dois primeiros elementos estejam compartilhando ou à par da situação. Que após a explanação ou identificação do problema o aconselhado esteja pronto para ouvir e pôr em prática o conselho, e que o conselheiro o explicará sempre se baseando de um fato real e/ou de uma verdade.  

Esse tipo de aconselhamento trará sempre benefícios a todos os envolvidos.


A verdade para nós cristãos e tementes a Deus é sem dúvida as Sagradas Escrituras, e ainda que não haja aceitação não deixará de ser A Verdade e influenciar a humanidade. É pela Bíblia que diferenciamos o mal e o bom conselho. E um dos nomes do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é Conselheiro. (Is 9:6) 

Para começarmos a analisar o conselho de Jetro a Moisés, devemos saber o suficiente a respeito dos dois e do contexto em que estavam:

 - Quem era Jetro?

Jetro (hb.“excelência”)c. Séc. 13 a.C. Era sacerdote e líder da tribo dos Midianitas conhecida como Kenitas, que viviam no deserto do Sinai. Da descedência de Midiã filho de Abrãao com sua esposa Quetura após a morte de Sara (Gn 25: 2). O qual foi separado de Isaque com presentes (recursos) para manter-se e criar seu rebanho na terra que recebeu o seu nome. Pai de pastoras (Êx 2:16) uma delas Zípora esposa de Moisés (Êx 18: 2), avô dos dois filhos de Moisés (Êx 18: 3-4).  

-Quem era Moisés?  

Moisés (hb.”Tirado para fora”)c. Séc.13. O grande líder e legislador do povo Hebreu. Nascido no Egito de pai e mãe hebreus da tribo de Levi. Foi escondido por sua mãe até o terceiro mês de nascido, pois Faraó ordenara que fossem mortos todos os primogênitos homens do povo de Israel. Depois colocado em um cesto de juncos em forma de baú, flutuando pelo rio até o lugar onde a filha de Faraó se banhava. Depois voltou a ser criado por sua mãe natural até ser menino já grande. Passando os seus cuidados à filha de Faraó, sua mãe adotiva, a qual chamou- o Moisés por ter sido tirado das águas (Êx 2: 1-10).

Na sua fase adulta, já instruido na escrita e ciências dos egípcios, foi ter com o seu povo. Deparando-se com a vida de escravidão e sofrimento que passava o povo hebreu. Viu como um egípcio feria um hebreu, foi ao encontro, o matou e o escondeu. Após esse fato, percebeu que o crime já havia sido descoberto e que Faraó o procurava para matá-lo; foge e vai ao deserto às terras de Midiã. Aonde casa-se e permanece por 40 anos. Onde também o Deus de seus pais, Abraão, Isaque e Jacó, O grande EU SOU; aparece-lhe e revela que seria o líder e o instrumento de Deus para livrar o seu povo do Egito. E manda regressar a Faraó para lhe ordenar a libertação do povo de Israel (Êx 2: 11-22; 3: 1-22).


-Qual era o contexto em que estavam? 

Moisés e seu sogro se encontraram no deserto junto ao monte Sinai (o monte de Deus, Êx 18: 5). Moisés após ter levado em frente o propósito de Deus para sua vida e do seu povo Israel, depois de ter vencido pela insistência e pelo poder de Deus a Faraó e todo Egito a não querer libertar Israel, através das pragas que houve (Êx cáp. 7 ao 12). Depois da maravilhosa e tremenda salvação que Deus realizou abrindo o Mar Vermelho e o seu povo à pés enxutos fez passar (Êx 14:15-26); A morte dos seus inimigos (Êx 14: 27-31); De ter experimentado a providência divina através das águas amargas que tornaram-se doces (Êx 15:23-27); Do alimento que desceu dos céus (Êx 16:1-36); Da vitória contra Maleque e seu exército em Refidim (Êx17: 8-16).

No terceiro mês da saída dos filhos de Israel (Êx 19: 1-2). Ele acampou-se no deserto do Sinai com todo o Israel.

Jetro sacerdote de Midiã após ter ouvido todas as coisas que o Senhor realizou ao seu povo tomou sua filha Zípora e seus netos Gerson e Eliezer, que haviam sidos enviados aos seus cuidados por Moisés; e veio ao encontro do seu genro (Êx 18:1-5). Depois de um caloroso e alegre reencontro, Jetro ouviu de Moisés todas as boas e maravilhosas notícias das que Deus realizara.

O qual como sacerdote adorou ao Senhor com holocaustos e sacrifícios, pelo qual Moisés convidou a Arão e a todos anciões de Israel a comerem pão com seu sogro diante de Deus (Êx 18:7-12). 
No dia seguinte, começa a surgir o conselho de Jetro após o mesmo ter visto a maneira que Moisés julgava o povo:  

     “- Que é isto que tu fazes ao povo? ”(v.14) 

 Depois de uma noite de celebração e adoração (v.12), amanheceu no acampamento e com isso os trabalhos do dia-a-dia. Moisés como líder político e religioso estava na incumbência de cuidar dos problemas sócio-político e espirituais de Israel. Além de ser o porta-voz de Deus ao seu povo era também intermediador de Israel e o Senhor Jeová. Por isso cremos que os trabalhos começavam antes do sol raiar com a busca de Moisés à presença de Deus e logo com os primeiros raios do sol, os primeiros a consultarem a Deus por intermédio de Moisés (v.15). Haja vista que o povo que saiu do Egito havia se multiplicado grandemente lá (Êx 1: 7-12). 

Devido a esse fato as audiências se estendiam até o pôr- do- sol (v.13). Cansando aos que esperavam e também ao próprio Moisés. Observando este procedimento, pôde Jetro fazer as perguntas do versículo 14. Também já subentendendo suas razões e motivos que seu genro declara-lhe nos versos 15 e 16, pois Jetro era líder espiritual em sua terra.

Dessa maneira notamos que este conselho começou de uma boa observação

da parte de alguém que não era leigo no assunto, e que já gozava de um bom tempo de experiência.  



             “- Não é bom o que fazes.”  (v. 17) 
Uma das etapas, mas difíceis em todo aconselhamento é o de exortar, corrigir, e retificar. Porque envolve muita prudência, sabedoria e o bom uso de atos e palavras. E acima de tudo para nós cristãos requer amor em nossos corações (At 20: 31; 1 Co 4:14).

Mas também de igual valor a humildade e sabedoria da parte de quem ouve (Pv 18: 8; Pv 11:22). É de suma importância para um bom e eficaz aconselhamento.

Notemos que a liderança, experiência tão elevados dadas por Deus a Moisés não o tornaram soberbo ao ponto de não ouvir ao seu sogro e sacerdote de Midiã. Houve atenção e respeito para receber o conselho de Jetro, começando pelo motivo que o levou a rejeitar a forma de trabalhar adotada pelo genro.  

“- Ouve agora a minha voz... e Deus será contigo...”  (v. 19a)  

Com os avanços da tecnologia nesse mundo moderno que vivemos fazem com que as pessoas se isolem e já não tenham tempo de ouvir e falar umas às outras. As conversas nas esquinas das ruas ou praças são cada vez diminuídas pela conversa virtual na Internet e/ou violência. O amor nos corações se esfria. E muitos vão aos psiquiatras, psicólogos, videntes, “mãe- de-santo”, etc. Pagando verdadeiras fortunas por um bom conselho. 

Nenhum conselho será dito como bom se não fizer com que haja uma eliminação do erro ou causa, para prevalecer o correto e verdadeiro. Se não beneficiar com a solução do problema e/ou aperfeiçoamento, satisfação do aconselhado. Ainda que com dor, renuncia, mudança, etc.

Por exemplo: Uma prescrição médica para a cura de uma doença que exige injeção ou cirurgia pode não ser agradável, mas é melhor que continuar doente !  

Por essa razão e pela graça de Deus ainda existem homens que se respaldam não em filosofias humanistas passíveis ao erro, mas na Palavra do Deus Vivo (Mt 24: 35), a Bíblia Sagrada. Trazendo conselhos que são bons, corrigem aperfeiçoam para o viver e conviver aqui nesta Terra como na Eternidade. Pessoas que podem e tem autoridade para dizer após seus conselhos que “Deus será contigo”.

Por outro lado também o Deus Trino e Uno que respalda o conselho segundo  seus padrões também adverte a respeito dos falsos mestres e profetas que enganam a muitos (Mt 24:11). Dessa forma para todos os filhos de Deus e os que serão mediante o sacrifício de Cristo, prossegue o conselho do profeta Oséias : “- Conheçamos e prossigamos a conhecer o Senhor...”(Os 6: 3a). 

E a oração e a leitura bíblica como hábito já é um bom começo.
Sem poder recorrer a Palavra escrita de Deus, Moisés sabia disso e por isso pôde avaliar o conselho do seu sogro e acatá-lo como de Deus. Ele viu que teve um bom começo, confirmando algo que Deus já incubera a fazer (v.19 e 20), não desfazendo ou desmentindo o propósito e a palavra falada de Deus desde o seu chamado (Êx cáp. 3 ao 4) .

Pois “Deus não é homem para que minta, nem filho do homem para se arrepender.”(Nm 23:19a). 

“- E tu, dentre todo o povo, procura...”(v.21)

Nós, povo brasileiro, temos a mania de valorizar o que é dos outros e menosprezar o que é nosso. O que nos faz parar nesta frase é que o sacerdote Jetro poderia usar do seu prestígio e indicar alguém do seu povo ou até mesmo se “escalar para o serviço”, importando a mão-de-obra dos midianitas. Mas não, antes ele resaltou “procura dentre todo o povo”. Ensinando e lembrando-nos da importância de valorizarmos a “prata da casa”.

 Por outro lado deveriam ser tirados dentre todas as tribos de Israel para evitar descriminação e os problemas que poderiam acarretar.

          “...procura homens capazes...”(v.21)

Todos nós temos capacidade para realizar algo. As empresas gastam fortunas

com pesquisas e técnicas para avaliar a capacidade de alguém para um determinado trabalho. Sem contar com a apresentação do curriculum vitae (resume, em inglês) e diplomas.

Haveria uma tremenda economia e produtividade se tais métodos fossem divinamente inspirados e orientados.



Vejamos alguns funcionário da empresa de Deus : 

 Davi, filho de Jessé . 

   ADMITIDO: Ainda jovenzinho (1Sm 16: 11-13)

   CARGO: Rei de Israel.

   EXPERIÊNCIA: Pastor de ovelhas: matou um leão e um urso por amor ao

   rebanho de seu pai. Confiando unicamente na força de Jeová;

   Salmista e tocador de harpa: tocou para retirar do rei Saul o espírito

   maligno que o atormentava (1Sm 16: 17-23);

   Guerreiro: matou o gigante Golias guerreiro campeão dos filisteus com

   uma pedra e a confiança no Senhor Deus de Israel.

   DESEMPENHO: Seu reinado foi muito conturbado pelas constantes

   guerras pelas quais Israel expandiu seus limites territoriais, certa ocasião

   foi desobediente, mas obteve grandes conquistas e foi o homem  segundo o

  coração de Deus (1 Sm 13:14), a quem foi prometido pelo “dono da

  empresa”, o Deus Soberano, não faltar-lhe sucessor ao seu trono (1Rs 9:5),

  glorificou ao Senhor e é um heroi das Sagradas Escrituras.


Pedro (ex-Simão Barjonas). 

ADMITIDO: À beira do Mar da Galiléia, mais ou menos 30 d.C. (Mt 4: 18-19). 

CARGO: Apóstolo.

EXPERIÊNCIA: Pescador semi-analfabeto.

DESEMPENHO: Foi um discípulo carnal, muito impulssivo, até a noite que o galo cantou depois de ter negado a Cristo três vezes (Mt 27: 69-75), se converteu e ajudou a converter os irmãos e apascentar o rebanho de Jesus Cristo (Jo 21: 15- 17), recebeu o batismo no Espírito Santo e pregou com unção e autoridade, confundindo os magistrados e doutôres da Lei, e ganhando mais ou menos 3 mil almas para o Reino de Deus (At 2: 14-41). Foi fiél até o fim e deu lucro ao Reino dos Céus.

Pelos exemplos desses heróis das Sagradas Escritura pode ver que aquele que escolhe, capacita e não há possibilidades para fracassos (Fp 1: 6; Is 14:24). Por isso a liderança precisa escolher a escolha de Deus.

         “- Homens tementes a Deus...”(v. 21)

“O temor do Senhor é o princípio da ciência (ou sabedoria).”( Pv 1: 7)

Homens que não são verdadeiramente sábios não servem para julgar o povo. 

               “- Homens de verdade.”(v. 21)

Estaria Jetro com esta frase cogitando a possibilidade de existir já naquela época homossexuais? Poderíamos levar em conta esta consideração, porque o homossexualismo e o lesbianismo com a prostituição são tão antigos quanto o homem (Gn 19: 1-8).

Por outro lado homens de verdade que sabem que não são deuses, e como tais são passíveis a errar. Homens de coragem para assumir os erros e pedir desculpas. Homens íntegros que não fogem dos compromissos. Homens que sabem dizer não e são aptos a dizer sim!  

          “- Que aborreçam a avareza.”(v.21) 

Esta frase nos leva a deduzir que tais homens de verdade, seriam também amantes da verdade para julgar com justiça. E não favorecer ninguém a custa de presentes e propinas e/ou suborno. Prevalecendo como consequência de tais atos a injustiça e a mentira.  E o (a) subornável pela Lei divina é maldito (Dt 27: 25).


“- Maiorais de Mil, Cem, Ciquenta e dez.”(v.21)

Aqui compreendemos que por mais eficiente e excelente que possa ser um líder, ele (a) é humano e precisa de cooperadores. Essa estrutura que aparece nos tempos antigos nos mostra como baseamo-nos na Bíblia mesmo sem nos dar conta.

Olhemos para o sistema judiciário nos países democratas. Vemos que do Tribunal de Pequenas Causas ao Supremo Tribunal Federal, é uma réplica do conselho de Jetro. Fora esse, se olharmos bem na Bíblia, veremos várias outras dicas, normas e métodos que fazem parte do dia-a-dia do homem moderno.

Sem contar os 10 Mandamentos que são a base para as constituições de quase todos os países do globo terrestre. 

E ainda dizem que a Bíblia não é a Palavra de Deus... 

           “ Meu povo é destruído por falta de conhecimento.”(Os 6: 6). 

           “Por ventura não errais por não saberdes as Escrituras  e o poder de Deus ?”
                                                                                                                    (Mc 12: 24) 
       

 “...te aliviarás da carga e eles a levarão contigo.”(v. 22)   

Note que, o “aliviarás da carga” aqui, não se trata do líder passar totalmente a responsabilidade e deveres aos seus subordinados. E sim, o alívio da sobre carga e distribuição das tarefas com seus deveres e direitos. Um trabalho coletivo cooperando e orintando-se pela liderança que vem de Deus.  



“- Se isto fizeres e Deus to mandar.”(v. 23)

Note que o conselheiro sempre estará sugerindo e orientando, nunca obrigando de forma autoritária. Jetro não ditou uma ordem, ele aconselhou:

“Se isto fizeres.”     

Como sacerdote ele também sabia que a última palavra tem que ser de Deus.

Moisés teria de consultar a Deus para pedir o seu aval, “Deus to mandar”.

Nossos conselhos deverão estar basados na revelação de Deus – Bíblia. E devemos julgar todo conselho à luz das Sagradas Escrituras e da vontade de Deus para nossas vidas (1 Jo 2: 17; Rm 12: 2).



“- Poderás subsistir, todo este povo irá ao           seu lugar em paz.”(v. 23)  

O conselheiro deve além de expor seu conselho de forma prática e simples, deve prever que benefício trará a execução do conselho, ou mostrar os resultados de se pôr em prática o conselho. Jetro como mais velho e experiente que Moisés já pôde vislumbrar o resultado devido ao seu tempo de serviço. 

“- Moisés deu ouvido... e fez tudo quanto  tinha dito.”(v.24) 

 Finalizando o conselho de Jetro esteve a obediência e humildade de Moisés em efetuar da maneira que foi aconselhado. Pondo em prática um bom conselho dado por seu sogro, inspirado e aprovado por Deus (Êx 18: 25-26).



Conclusão:

Na nossa contínua busca por aperfeiçoamento aos padrões divinos e vida íntima com Deus, nos fazem passar por provas e tentações. Mas graças a Deus, o Senhor Jesus Cristo quando foi ao Pai rogou que enviasse do próprio Deus outro Consolador. Temos o Espírito Santo que nos capacita a ouvir, falar, agir, naquilo que nos convém como filhos de Deus. Basta estarmos em sintonia com a Palavra e dar-mos lugar ao Espírito de Deus operar em nós e através de nós (Jo 14: 16-17, 26; Jo 16: 7-14).

E a Ele dedico e agradeço por este trabalho. Como também aos seus servos que são nossos Pastores, Mestres e Conselheiros. MUITO OBRIGADO!

  



Você não tem o Espírito Santo em ti?! Posso dar-te o melhor conselho do mundo?



“Entrega teu camiho ao SENHOR confia nele e tudo o mais ele  fará.”
(Sl 37: 5)

Disse JESUS  CRISTO:

“Vinde a mim os cansados e oprimidos e eu os aliviarei.” (Mt 11: 28).

“... o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.”(Jo 6: 37). 

“...se alguém me ama, guardará minhas palavras, e o Pai o amará, e viremos  para ele, e faremos nele morada.”(Jo 14 :23)     

                     

No comments:

Post a Comment

Post a Comment